DEPRESSÃO: Trazendo de volta a esperança!

DepressaoTrazendoDeVolta

Os brasileiros costumam dizer que “a esperança é a última que morre”. Esperança é a palavra que muitos usam na política para angariar votos. Esperança é a palavra mais usada pelas religiões. Todavia, hoje em dia, constata-se um grande número de pessoas depressivas por causa de alguma esperança frustrada.

Esperança é o ato de esperar. E esperar não é fácil! Ainda mais quando se espera tanto por algo que, depois de um longo tempo de espera, acontece completamente diferente de como sonhamos ou imaginamos que poderia ter acontecido. E, aí, ficamos frustrados… “a esperança é a última que morre”, mas, para alguns, já morreu.

No Evangelho Segundo Lucas, no capítulo 24, de 13 a 53, conhecemos a história de dois jovens cujas esperanças haviam sido frustradas. Estavam tristes. Haviam sido discípulo de Jesus, cheios de esperança de que ele seria aquele que devolveria a Israel um reino independente e soberano. Cristo era tido por muitos como aquele que devolveria o reino a Israel. Cristo havia falado sobre o reino. Havia feito milagres e ensinado coisas que o indicavam como o Messias esperado. Havia uma grande expectativa sobre o Nazareno. Todavia, quando o viram crucificado, pairou a dúvida: será ele mesmo o filho de Deus que havia de vir ao mundo? Não era ele quem restauraria o reino em Israel? E como pode ele ter sido crucificado, morto e sepultado?!

Muitos, com a morte de Cristo, se frustraram e se entristeceram. Até os onze discípulos ficaram cheios de dúvida e medo (de acabarem mortos também). É quando Cleopas e seu amigo estão a caminho para a pequena aldeia chamada Emaús que ficava a pouco mais de 11 quilômetros de Jerusalém. Enquanto caminhavam, diz-nos a Escritura, o próprio Jesus aproximou-se deles e começou a acompanhar a conversa perguntando-lhes: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós?

É quando Cleopas para, e para muito entristecido (v.17), e estranhando sua pergunta, lhe responde: És tu o único peregrino em Jerusalém que não soube das coisas que nela têm sucedido nestes dias? E, Jesus, os chamando pra conversa, pergunta: Quais?

Daí, então, percebemos a tristeza de Cleopas e seu amigo por causa de uma esperança frustrada. No verso 21, eles confessam o que esperavam do tal Jesus de Nazaré: Ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de remir Israel. Porém, já era domingo, e Jesus havia sido crucificado na sexta-feira, às 09h00. Às 15h00, estava morto. Sendo, rapidamente, sepultado antes das 18h00. Era o domingo de páscoa! E, o próprio Jesus ressuscitado estava ali ao lado deles, e eles não o perceberam como tal.

Após exporem àquele peregrino desconhecido sobre o que havia acontecido em Jerusalém naqueles últimos dias, e a razão por que eles estavam tão tristes e frustrados, Jesus lhes diz:

Ó néscios, e tardos de coração para crerdes em tudo o que os profetas disseram! Porventura não importa que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicou-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.

Deve ter sido a pregação mais fantástica de toda a história. Jesus, pregando em todo o Antigo Testamento, para somente aqueles dois ouvirem! Que maravilhoso deve ter sido para aqueles jovens ouvirem da boca do próprio Cristo a mensagem da salvação. E Lucas nos diz que, quando eles estavam chegando perto de Emaús, Jesus fez como alguém que fosse caminhar ainda pra mais longe. Os discípulos, porém, insistiram que ele ficasse, jantasse e dormisse na casa deles. E Jesus aceitou. E, na hora da refeição, após Jesus ter dado graças pelo alimento, os olhos dos dois foram “abertos” para perceberem que aquele peregrino era o próprio Jesus que havia sido morto. Jesus desaparece. Eles correm de volta os 11 quilômetros até Jerusalém para contar tudo isso aos 11 apóstolos e, enquanto contam, eis que Jesus novamente aparece no meio deles deixando a todos com um misto de medo, alegria e espanto. Agora, não havia mais dúvida para ninguém; Jesus havia ressuscitado!

Assim como aqueles discípulos no caminho de Emaús, nós não estamos livres de nos frustrarmos com esperanças e expectativas em nossa vida espiritual. Deus nos deixou muitas promessas. E nós, quando as conhecemos, nos agarramos a todas elas. E, porque as promessas de Deus pra nós são de uma vida eterna, abundante, maravilhosa, às vezes não entendemos o porquê das dificuldades e sofrimentos. Ora, o que aprendemos com esse texto das Escrituras é que, a Palavra de Deus sempre se cumpre! Às vezes, somos nós quem não enxergamos direito!

Os discípulos no caminho de Emaús se frustraram porque imaginavam que a promessa de Deus haveria de se cumprir de um jeito. A promessa se cumpriu, mas não do jeito que eles imaginavam e esperavam (aliás, não só eles, mas todos os discípulos). O Rei veio e inaugurou seu Reino! Contudo, naquele exato momento eles não conseguiram entender como aquele era o cumprimento da vontade de Deus.

Assim acontece conosco também. Nem sempre os planos de Deus se cumprem de um jeito que esperamos. Os planos de Deus pra nós são de paz e uma vida abundante. São de nos moldar, dia a dia, até que sejamos, o mais parecido possível, com Seu filho Jesus.

E, nesse processo de nos transformar, nos santificar, nos purificar, nos tornar santos com Ele é Santo, tudo cooperará para o nosso bem! E esse é o maior bem de todos, o de sermos conformados à Sua imagem (Rm 8.28-29).

Por isso, confie na promessa e não duvide! Tudo o que está acontecendo em sua vida faz parte do plano de Deus sobre você. Às vezes não entendemos como algo pode estar debaixo do plano de Deus (um desemprego, uma doença grave, um assalto, etc.), mas, segundo as Escrituras, tudo, absolutamente tudo, está debaixo do controle do Senhor e está cooperando para o nosso bem.

Assim como aquela situação em Jerusalém que não estava sendo entendida por ninguém, mas estava em perfeita consonância com o plano de Deus para a salvação do homem, assim também hoje em sua vida, tudo o que está acontecendo, está debaixo do cuidado e minucioso controle de Deus para o seu bem e segurança.

Confie! Não se frustre jamais! Ele está com você, talvez você não esteja percebendo isso, assim como os discípulos no caminho de Emaús não perceberam Jesus ao lado deles. Confie e descanse em Sua graça para não entrar em uma depressão desnecessária! Você está nas mãos dele.

Por: Wilson Porte Jr.; Copyright © www.wilsonporte.org; Original: DEPRESSÃO: Trazendo de volta a esperança!.

Você pode gostar...