O chamado para um ministério “sem resultados”

OChamadoParaUmMinisterioSemResultados

Texto base: Isaías 6

Parte 1

Dos versículos 1 à 7 nós vemos o início da visão do profeta Isaías, e no verso 8 podemos ver seu chamado para o ministério.

A quem enviarei, e quem há de ir por nós?

Sabemos que Deus é soberano e que Ele pode fazer todas as coisas, mas então por que Ele está buscando alguém que o faça?

Deus nos criou para vivermos seguindo a sua vontade em nossas vidas. Ir e pregar é uma das suas vontades, dos seus propósitos para nós. Ele não fez, apesar de poder fazer, porque Ele quer que nós o façamos! Ele nos criou para isso. Se o fizermos, o seu nome será glorificado, e Ele sendo glorificado nós ficaremos satisfeitos Nele.

Deus é mais glorificado em nós quando estamos mais satisfeitos Nele. John Piper

Isaías se sentiu tocado, sentiu que aquele era o seu chamado, o seu ministério e então, prontamente, atendeu e disse:

Parte 2

Eis-me aqui, envia-me a mim.

Ele estava pronto para atender ao chamado.

Muitos oram pedindo a Deus que os use na sua obra, mas não se preparam para isso. São soldados dispostos, mas fracos e despreparados para a guerra. Temos sempre que buscar crescimento se quisermos ser usados por Deus. O seu dever é estudar, crescer, se preparar e se fortalecer para que quando Deus vier lhe chamar para uma missão, você possa responder “Eis-me aqui, envia-me a mim”.

Parte 3

Mas não podemos nos esquecer do restante do capítulo (versos 9 à 13).

Nos versículos 9 e 10, Deus revela mais alguns detalhes sobre o chamado de Isaías. Ele foi chamado a pregar para pessoas que não iriam se converter. Ele foi enviado para falar à pessoas que não lhe dariam ouvidos ou, visto de uma maneira mais geral, foi chamado para uma missão na qual ele não obteria nenhum resultado.

É natural nós acharmos esse chamado no mínimo estranho. Quantos de nós gostaríamos de receber um chamado desse? Mas vamos analisar mais de perto nosso atual cenário.

Vivemos tempos onde ser “crente” é normal, é fácil e até chega a estar da moda. Nesse mar de “evangélicos nominais”, com suas frases de efeito e vidas disfarçadas, podemos ver um cenário cheio de pessoas que ouvem o evangelho toda semana, se disfarçam bem dele, mas não o vivem de maneira integra em suas vidas. Nós devemos vigiar e analisar nossas vidas para não sermos enganados, caindo no erro de sermos apenas mais um caminhando a passos largos, despreparados para a guerra, deixando Cristo na capa do livro mas fora das páginas.

Voltando o foco para a questão do ministério “sem resultados”, achar esse ministério estranho é normal, e é isso que o versículo 11 nos mostra. Isaías, imagino eu que surpreso com o seu chamado, pergunta “Até quando, Senhor?”, e Deus responde: “Até todos serem destruídos, restando somente os poucos que são meus verdadeiros adoradores” (minha paráfrase).

O chamado de Deus para Isaías não era o de um ministério que produziria muitos frutos, “muitas almas para Cristo”. Seu chamado era para ser íntegro, para uma vida de verdadeira obediência a Deus.

Diferente do que muitos têm pregado hoje em dia, a recompensa não está em “resultados positivos”. Se fosse assim Isaías seria um fracassado, pois não converteu a ninguém. Moisés seria um fracassado, pois não entrou na terra prometida. João Batista seria um fracassado, pois não conseguiu ver o ministério de Cristo. Mas esses homens tinham uma coisa em comum, uma vida íntegra com Deus, e isso fez deles grandes homens!

Não importam as dificuldades que enfrentamos, não importa se os resultados não chegarem. Seja como for, o que Deus espera de nós é que sejamos íntegros em nossas vidas e sempre nos preparando para as batalhas que estão por vir, nos dedicando ao ministério que nos foi proposto.

Por: Guilherme M. Reiss;

Original: O chamado para um ministério “sem resultados”; copyright © 2014 Jovens Fiéis; website: JovensFieis.com.br.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

.

Você pode gostar...

  • Marcela Bastos

    Ótimo artigo. Vemos no meio “evangélico” uma cosmovisão tão empobrecida e arraigada em padrões mundanos de sucesso que, Quem dita o que é sucesso ou não (Deus), é pouco considerado. Viver um chamado é viver consciente ao que nos foi proposto, á que fomos criados, que é viver para a Gloria de Deus.

  • Catiane

    Que maravilha de artigo..